segunda-feira, 21 de março de 2011

Escolha Como Morrer!


Você já ouviu falar No cigarro eletrônico?
Ele  foi inventado na China com o foco de inclusão social e baixo risco à saúde.
Conhecido como E-Cigarro, ele não possui as substâncias químicas de um cigarro convencional e não produz poluição ambiental. Isto é o que diz o fabricante, mas não é bem assim.
A FDA - Food and Drug Administration, agência reguladora dos E.U.A., classificou o E-Cigarro como tão cancerígeno quanto o cigarro convencional e recomendou a suspensão das suas vendas. 
Proibido no Brasil, pela Anvisa, o E-Cigarro ainda pode ser encontrado na Internet e algumas revistarias. 
O E-Cigarro é confeccionado em aço inoxidável, composto de um circuito micro- electrónico, um compartimento vaporizador e uma luz indicadora.  Funciona  com uma bateria de lítio,  não necessitando de nenhum processo de combustão ou chama para acender.
 


Proporciona desfrutar sensações táteis e de sabor por estímulo do sistema nervoso sem o risco de dependência do tabaco e do alcatrão. Os fumantes usufruem do mesmo prazer de um cigarro tradicional aspirando a nicotina contida no cartucho, simulando o método de fumar. 

Estudos realizados pela Universidade de Boston comprovaram que, após 6 meses, 31% dos consumidores do E-Cigarro haviam parado de fumar.
Apesar de alguns especialistas têm exaltado a excelente associação da avançada tecnologia micro-electrónica, à biológica e ao modo de vida saudável, houve uma grande resistência dos orgãos reguladores sobre a superdosagem da nicotina e a contaminação do cartucho.
A grande questão é... Até que ponto a megaindustria tabagista é capaz de influênciar na decisão dos orgãos reguladores?
A liberação definitiva e a comprovação de que o E-Cigarro não é maléfico a saúde seria possível se fosse verdade? Não seria a morte da Indústria Tabagista?
Existem especulações de que, as Indústrias farmacêuticas usam o poderio financeiro para retardar a descoberta de curas, a saúde do planeta não estaria melhor e menos dependente de seus remédios? 
Como seria o mundo sem os cigarros convencionais? Bem melhor para todos, menos para os Donos do Jogo.
O mesmo fumante que sabe ser prejudicial o tabaco, o alcatrão e a nicotina, usufrui do seu livre arbítrio e opta pela dependência do cigarro convencional.
Não teria ele o direito de saber dos malefícios do E-Cigarro e optar em usá-lo, ou não? 
A relação de malefícios é realmente pior do que o cigarro convencional? 
Provavelmente os fumantes nunca irão saber.
O objetivo do artigo não é defender os fumantes, mas refletir até que ponto as Megascorporações decidem por cada um de nós.
O Governo regulamenta as Indústrias de fumo, bebidas e remédios, mas no fim de tudo controlada mesmo só a população. E sem lucro!
Escolha como quer morrer. Um efisema pulmonar tradicional ou um câncer high tech?
Na dúvida, siga a recomendação:
  
O Ministério da Saúde Adverte
  • FUMAR CAUSA MAU HÁLITO, PERDA DE DENTES E CÂNCER DE BOCA
  • FUMAR CAUSA CÂNCER DE PULMÃO
  •   - FUMAR CAUSA ENFARTO DO CORAÇÃO;
  • - QUEM FUMA NÃO TEM FÔLEGO PARA NADA;
  • - FUMAR NA GRAVIDEZ PREJUDICA O BEBÊ;
  • - EM GESTANTES, O CIGARRO PROVOCA PARTOS PREMATUROS, O NASCIMENTO DE CRIANÇAS COM PESO ABAIXO DO NORMAL E FACILIDADE DE CONTRAIR ASMA;
  • - CRIANÇAS COMEÇAM A FUMAR AO VEREM OS ADULTOS FUMANDO;
  • - NICOTINA É DROGA E CAUSA DEPENDÊNCIA
  • - FUMAR CAUSA IMPOTÊNCIA SEXUAL



Nenhum comentário: