sexta-feira, 6 de maio de 2011

Libertas Quae Sera Tamen!

Beijo gay ofensivo? Ofensa é ter que engolir que o assassino confesso de seu ente querido está livre.
Esta semana o Brasil deu um passo a frente.
Muito mais do que uma decisão legal, o reconhecimento da legalidade da relação homoafetiva é uma questão de justiça social.
Todo cidadão é portador de obrigações e em contra partida de direitos.
Durante anos os homossexuais tiveram seus direitos saqueados e distorcidos por uma sociedade hipócrita, preconceituosa e dominadora, que baseia a sua atitude homofóbica em ideologias religiosas. Religiões quais,contraditoriamente abonam atos criminosos de pedofilia de dirigentes, padres e pastores.
Ser gay não é crime é uma condição. Ser criminoso não é uma condição, é uma escolha.
A decisão do STF com maioria favorável de votos cedida pelos seus ministros legaliza o casamento gay e cede aos conjugues homossexuais os mesmos direitos de casais heterossexuais.
Pensão, herança, comunhão de bens, previdência e facilitação da adoção de crianças e o reconhecimento como família torna finalmente na prática o que a constituição proclama: Todos são iguais perante a lei.
Esta polémica decisão obviamente não foi aceita pelos detentores da ignorância que pensam na homossexualidade como desvio de caráter, "safadeza", "putaria", aberração,  imoralidade e outras intermináveis denominações enumeradas pelos desprovidos de senso humanitário.
Ausência de pudor não são qualificações de uma opção sexual, mas sim de pessoas desprovida de valores morais quando suas atitudes ultrapassam o âmbito da sua privacidade para super exposição pública.
O que um casal faz da sua vida íntima e pessoal só diz respeito as partes envolvidas, sejam eles heteros ou homos.
Com a dissipação do domínio da hipocrisia sobre a liberdade de condição homossexual, abre-se a porta para que centenas de crianças, negras, deficientes e em fase de crescimento que estão abandonadas nos orfanatos sejam adotadas. Crianças quais, são tão vítimas de preconceito das "tradicionais famílias heteros", que em sua maioria buscam bebês e crianças de pele clara para agregar ao seio familiar, da mesma forma que os homossexuais são vítimas da sociedade preconceituosa.
Há quem tenha a capacidade de dizer que crianças criadas por casais homossexuais ser tornaram gays por uma questão de criação e valores morais. Ao invés de tentarem tolir o direito dos homossexuais, as intituições religiosas e os parlamentares homofóbicos deste pais deviam se mobilizar para mudar as leis que colocam tantos assassinos, estupradores e pedófilos tão facilmente na rua. Ou talvez* tais instituições e parlamentares tenham medo de serem punidos pelas leis mais severas, por isto não se mobilizam.
Este papo babaca de dizer que homossexualismo é coisa do diabo já cansou. Depois que o capeta nasceu ninguém mais quer se dar o trabalho de ter explicação coerente e sensata para nada, e nem assumir seus erros. Bebeu e bateu com o carro? A culpa é do Diabo! Matou alguém? A culpa é do Diabo! O cara é um Drogado? A culpa é do Diabo! O filho virou gay? Chama o Diabo de novo!!!
O ignorante quando não entende não procura se informar, prefere tarjar como errado o que não tem capacidade de assimilar.
Homossexuais tem obrigações. Precisam pagar impostos, geram empregos e assumem a sua cota de responsabilidade como cidadãos. Não há razão lógica, legal e se quer de cunho moral para que seus direitos sejam saqueados. Algumas famílias heteros não cumprem se quer com um terço do que uma família homossexual cumpre, seja como chefe de família ou como genitor ou genitora.
A força dos homossexuais em termos econômicos neste pais tem um crescimento maior a cada dia , isto se reflete em aumento na oferta de trabalho, consumo e arrecadação de impostos.
O mercado gay não é preconceituoso, gera empregos para pais e mães de família heterossexuais.
A partir da decisão do STF existe uma imensa possibilidade de aprovação da PLC 122 criada para ser uma lei anti-homofobia. Será também bem vinda, para parar de acobertar estes marginais intitulados neo-nazistas que para despachar o ódio da sua vida medíocre e fracassada elegem os gays, além de negros, emos, entre outros como saco de pancadas. Tomara também que esta lei não seja ignorada por um boçal ou outro eleitos pelos seus seguidores fanáticos ao congresso. Que perante a mídia vociferam defensores da moral e do bons costume e na suas vidas regressas de rufiões das piores espécies que possuem mais podres do que uma caixa de tomates esquecida no fundo de uma loja do Ceasa.
Se você não gosta do seu vizinho ou não aceita o seu filho por serem gays, é uma escolha sua. Nenhum dos dois irá deixar de ser gay por causa da sua escolha de não aceitá-los. Você não tem a obrigação de aceitar as pessoas como elas são e a opção de não conviver e nem ser conivente com elas. Seu vizinho pode mudar de casa e continuará a ser gay! Seu filho mudará de país e continuará a ser seu filho.
Liberte-se do seu preconceito. Assim será mais feliz como são os homossexuais.


Lomadee, uma nova espécie na web. A maior plataforma de afiliados da América Latina.